selo
Foto da instituição
Portal
Conheça a Católica do Tocantins

Criada dia 25 de novembro de 1999, pela 56ª Assembléia Geral da União Brasiliense de Educação e Cultura, a Católica do Tocantins - FACTO, teve em Reunião Extraordinária da Diretoria da UBEC, em 04 de abril 2002, provisoriamente, nomeados, como Diretora Geral, a Profª Débora Pinto Niquini, como Vice-Diretor Administrativo, o Prof. José Cardoso de Sousa, como Vice- Diretor de Planejamento e Desenvolvimento, o Prof. Bruno de Azevedo Costa e como Vice-Diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão, o Prof. Pe. Duile de Assis Castro. Na 193ª Reunião da Diretoria da UBEC, do dia 16 e 17 de dezembro de 2002, foram nomeados, em definitivo , respectivamente, como Diretor Geral e Vice- Diretor administrativo, o Prof. Luiz Antonio Hunold de Oliveira Damas, e o Prof. Rocco Procida.

A Católica do Tocantins foi concebida com a finalidade de “ministrar Ensino Superior, atuar para o desenvolvimento da pessoa humana e da sociedade, promover a educação integral de docentes, profissionais da educação e outros profissionais, comprometendo-se com a qualidade e os valores éticos e cristãos”.

No dia 06 de março de 2003, tendo com Sede uma pequena instalação do Colégio Marista de Palmas, a Católica iniciou suas atividades com os cursos de Administração de Empresas, bacharelado, com habilitações Planejamento e Gestão em Turismo e Planejamento e Gestão de Meio Ambiente e Recursos Naturais e Normal Superior, licenciatura com as habilitações Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e Magistério da Educação Infantil, cujo protocolo de autorização, no MEC, deu-se no dia 21 de outubro de 2002.

Conforme se verifica pela série de Editais de Vestibulares, o primeiro, relativo à seleção dos candidatos aos cursos requeridos do primeiro semestre de 2003, foi promulgado, provavelmente em novembro de 2002, realizou-se o vestibular no período de 02 a 20 de fevereiro de 2003 e possibilitou que o início do semestre letivo ocorresse no dia 06 de março de 2003, com os 53 candidatos matriculados no curso de Administração de Empresas.

A Católica, no dia 30 de junho de 2003, pela Portaria do MEC de nº 1650, foi credenciada e, respectivamente, pelas Portarias do mesmo Ministério, de nº 1651 e de nº 1652, recebeu a autorização para o funcionamento do Cursos da Administração de Empresa e Normal Superior.

Em seus 15 anos de criação e 11 de funcionamento, a Católica, unida a sua Mantenedora, a União Brasiliense de Educação e Cultura, construiu dois Campi, somando 13.600 m², com 76 salas de aulas, 17 laboratórios, 6 salas de informática, duas bibliotecas com 7.596 títulos, 41.606 volumes e 5.819 periódicos, 8 salas para administração, 1 capela. Em construção soma mais 12.264,69 m², constituindo um conjunto com outros 5 blocos iguais Conta com a Escola de Negócios, integrada pelos Cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis e Gestão Ambiental, de Ciências Agrárias, pelos cursos de Agronomia, Zootecnia, de Politécnica, pelos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica e Sistemas de informação e de Ciências Jurídicas, pelo Curso de Direito. Enriqueceu a sociedade com administradores de empresa, advogados, contadores, gestores de sistemas de informação, agrônomos e zootecnistas. De suas metas consta a ampliação física e acadêmica. Esta última, nas áreas do ensino graduado e pós-graduado stricto e lato sensu, da pesquisa e da extensão. Pretende, ainda, enveredar pelos caminhos da inovação, do fortalecimento do empreendedorismo e da parceria com empresas.

A missão da Católica do Tocantins é potencializar a formação integral do cidadão, por meio da geração e transferência de conhecimento e da educação evangelizadora, na perspectiva do desenvolvimento sustentável.

Tem como visão de futuro, ser Centro Universitário de referência na Região reconhecido pela excelência dos processos de ensino e aprendizagem e da transferência de conhecimento caracterizada pela pastoralidade, inovação, empreendedorismo e sustentabilidade.

A Católica do Tocantins, obedecendo ao princípio de indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão, tem como princípios institucionais:

  • CATOLICIDADE: Educação pautada pelas diretrizes da Igreja Católica; Evangelização do educando em um mundo em transformação; Conhecimento a serviço do bem comum; Compreensão da existência humana a partir da ótica de Criador e Criatura.
  • CIDADANIA: Comportamento ético e respeitoso da pluralidade; Formação pessoal, profissional e cidadã; Tratamento justo dos interesses pessoais e corporativos; Responsabilidade socioambiental.
  • SUSTENTABILIDADE: Respeito ao Planeta Terra em todas as suas dimensões; Eficácia e eficiência administrativo-financeira, acadêmica e pedagógica; Gestão por resultados e responsabilidade corporativa; Relação sustentável com os diferentes contextos.
  • INDISSOCIABILIDADE: Geração e disseminação do conhecimento; Integração entre ensino, pesquisa e extensão; Organização curricular interdisciplinar e sistêmica; Teoria e prática desenvolvidas de forma simultânea.
  • RACIONALIDADE: Não duplicação de meios para fins idênticos ou equivalentes; Maximização da produtividade dos colaboradores; Recursos, serviços e processos compartilhados; Otimização dos custos das operações institucionais.

São Valores Institucionais:

  • VIDA: Bem supremo doado por Deus; Pautada na igualdade, liberdade e fraternidade; Dignamente defendida em todas as suas manifestações; Respeito aos direitos individuais, sociais e políticos fundamentais.
  • ÉTICA: Conduta cristã e atenção aos preceitos legais e sociais; Integridade dos serviços prestados; Ação educativa que conduz à formação integral; Equidade e transparência no relacionamento institucional.
  • ALINHAMENTO: Comprometimento com a missão institucional; Atitudes e comportamentos afirmativos do senso de pertença; Interdependência entre a UBEC e Instituições Mantidas; Atuação socialmente responsável.
  • EMPREENDEDORISMO: Gestão empreendedora; Incremento à competitividade institucional; Valorização das iniciativas portadoras do novo; Proatividade frente às mutações da sociedade.
  • INOVAÇÃO: Elemento central das estratégias institucionais; Desenvolvimento de novas perspectivas; Busca da excelência, perenidade e longevidade; Adoção de modelos acadêmicos e administrativos inovadores.

Para acessar o Regimento Interno da Católica do Tocantins clique aqui.

Portaria de Recredenciamento da Católica do Tocantins clique aqui.